29 setembro 2009

Procura-se Bolinha


O GPA ajuda na busca de uma cachorrinha chamada Bolinha.


Ela é adulta, porte pequeno/médio, tem rabo branco e estava com coleira quando se perdeu, no sábado, no centro de Registro.


Quem encontrá-la, favor ligar para Fernando pelo telefone 9114 5045.

Velhinha precisa de um lar


Essa senhorinha precisa de um lar. Ela é mestiça de dog alemão e está castrada e vacinada....

Ela tem temperamento extremamente dócil, é muito carinhosa e se dá com outros cães.

Só precisa mesmode um lugarzinho pra viver.

Contato com o GPA 81265865.

28 setembro 2009

Bruce procura um novo lar

Este mestiço de Boxer com Fila está procurando um novo lar. Seus donos não podem mais ficar com ele...

Bruce só quer um lugar para chamar de lar...




Nome:Bruce.

Sexo: Macho.
*Obs: Já está castrado e vacinado.

Data de nascimento: 13/07/2008.
Idade:1 ano e 2 meses.
Raça:Boxer com Fila.
Pelagem e cor: Pelagem macia, curta e lustrosa, de cor castanho-amarelada, c/ mancha no peito na cor branca.
Peso: Aproximadamente 35 quilos.
Características: Humor moderado, inteligente, razoávelmente brincalhão e ótimo cão de guarda.








Se você pode dar um novo lar para Bruce, entre em contato com sua proprietária Vanessa: (13)91721860 - nessaangel_figueiredo@hotmail.com

25 setembro 2009

Gata é encontrada coberta com fita adesiva nos EUA



Entidades de proteção animal nos Estados Unidos estão em busca do autor do que classificaram ser um "ato de grande crueldade".

Uma gata foi encontrada na Filadélfia com o corpo todo coberto por fita adesiva.

O material, conhecido como "silver tape", tem grande poder de adesão e é de difícil retirada.

O animal foi achado por uma mulher na terça-feira (23) e encaminhado à SPCA (Society for the Prevention of Cruelty to Animals) da Filadélfia.

Ontem, veterinários da entidade conseguiram retirar a fita.

A SPCA oferece US$ 1.000 (R$ 1.800) a quem der informações que levem ao paradeiro do responsável pelos maus-tratos.

A gata passa bem.


Fonte: Folha Online (24/09/2009)

Acusados de praticar tiro ao alvo em cadela perdem porte de arma em SC



A Secretaria de Justiça e Cidadania de Santa Catarina retirou o porte de arma de dois agentes prisionais acusados de terem praticado tiro ao alvo com uma cadela vira-lata. Eles estão respondendo a uma sindicância e a um inquérito policial. Dependendo do resultado das investigações, os agentes podem até perder o emprego.



Os processos vão indicar se os dois utilizaram munição, armamento e veículo do Estado e se praticaram o crime durante o expediente. Ambos atuam na Penitenciária de São Pedro de Alcântara (32 km de Florianópolis). Os nomes dos agentes não foram divulgados.


O animal vivia nos arredores da unidade prisional e era alimentado por funcionárias. Os próprios colegas denunciaram o caso à administração. Segundo o relato, eles teriam colocado a cadela em um carro oficial e a levado a um local distante, para realizar os disparos. "Isso envergonha, mas sabemos que é um caso isolado", diz o diretor do Departamento de Administração Prisional de Santa Catarina (Deap), Hudson Queiroz.


De acordo com Queiroz, é o inquérito civil e a sindicância na secretaria que vão definir qual a punição dos agentes, que pode variar entre advertência e demissão. O relatório do processo administrativo deve ser entregue em 15 dias e o processo na Polícia Civil deve ser concluído em 30 dias. Pela Lei de Crimes Ambientais, se enquadrados, ambos podem ser condenados a prisão entre três meses e um ano e ter que pagar multa.


Apesar das quatro perfurações no corpo em razão dos tiros, a cadela sobreviveu. Depois de passar a noite agonizando, Pituca, como é chamada, foi levada a uma clínica e sofreu cirurgia. "Ela tinha choque hemorrágico, estava debilitada. Foi feita uma transfusão e ela permaneceu quatro horas na mesa de operação", explica o veterinário Marcelo Flicki, apostando na recuperação do animal, que já consegue ficar sobre as quatro patas e se alimenta quase normalmente.


Escrito por Luiz Nunes para Uol notícias (25/09/2009)


Hóspede nova no GPA















O GPA recebe com muito carinho sua nova hóspede. Ela chegou no dia 21 de setembro na entidade. Está magra, com sarna e debilitada, mas já conheceu sua casinha, comeu muita ração e bebeu água.
Está descansando agora. Logo, vai ficar bonita e forte para desfilar na feira de adoção do gpa.
Ela foi batizada de Magricela. Não preciso nem explicar o motivo do apelido, né?



24 setembro 2009

Laica, uma cadelinha de sorte

Esta é a história da Laica contada por Ana Carolina Naomi Omuro. Mais um final muito feliz aqui no Blog do GPA. Reparem na foto do "antes" e "depois" (tomando um solzinho na piscina), quanta diferença!



"Em uma quinta-feira de 2008, estava indo pela avenida à aula de inglês no CNA, quando passei em frente a uma banca do outro lado da rua da antiga Maré Verde, vi uma cadela branca debaixo do sol, super magra sem conseguir se levantar. Fiquei morrendo de dó, então pedi ajuda a alguns colegas do meu curso para levá-la para minha casa (sem a permissão dos meus pais!).
Compramos presunto na padaria e pegamos
água para tentar fazê-la levantar e caminhar. Enquanto isso, liguei para minha casa e pedi para que a empregada preparasse um lugar confortável para ela dormir e alguma coisa para ela comer.






Levamos mais ou menos uns 40 minutos para percorrer um caminho que normalmente eu fazia em 10, mas conseguimos levá-la até minha casa, apesar do cansaço e do medo da cadela.
Ao chegarmos em casa, liguei para minha mãe e contei tudo o que
havia acontecido e, como eu já esperava, ela não me deixou ficar com a cadela. Chorei, gritei, fiz o maior escândalo e então ela me disse que havia ligado para o GPA e que eles ficariam com a cadela, mas que eu precisaria tirá-la de casa o mais rápido possível (eu sei o quanto minha mãe tem o coração mole e sabia que se ela visse a cadelinha linda e super educada não teria coragem de mandá-la embora!).






Quando minha mãe chegou em casa, encontrou a linda cadelinha no canil, super magra, carente, mas ainda assim, muito educada e simpática. No dia seguinte estávamos a levando ao veterinário, colocamos ela junto do meu outro cãozinho e eles se deram super bem!






A veterinária disse que ela deveria ter mais ou menos 1 ano e meio e que devia ter dado cria há pouco, provavelmente teria sido abandonada.
Todos em casa se apegaram muito a ela, discutimos por vários dias o nome que colocaríamos e acabamos escolhendo 'Laica'.












Hoje, ela e meu outro cãozinho são os xodós da casa, são meus filhinhos, as preciosidades da minha vida e não sei o que seria de mim sem eles. Ainda assim, não consigo entender como uma pessoa pode ter coragem de abandonar uma preciosidade dessas, mas agradeço muito por ela ter sido colocada no meu caminho e por ser essa cadela maravilhosa que é!"

23 setembro 2009

GPA e AJOV convidam para almoço beneficente no dia 24/10


















Registro- O Grupo de Proteção aos Animais do Vale do Ribeira (GPAVR) e a Associação dos Jornalistas do Vale do Ribeira (AJOV) promovem no sábado, 24 de outubro, no Lar dos Velhinhos, a partir das 12 horas, almoço beneficente em prol dos trabalhos das entidades.

Os convites, ao custo de R$ 12,00, podem ser encontrados com os associados ou no Bazar da Pechincha do GPA, que fica na esquina das ruas Akira Uematsu e Waldomiro Giraldez Garcia, no Jardim Caiçara I. O Bazar atende de terça a sexta, das 14 às 18 horas.

O almoço será regado à música, atividades recreativas com as crianças, sorteio de brindes e exposição de fotos de animais. No cardápio, churrasco. Para os vegetarianos, haverá venda de espetos de queijo.

Mais informações podem ser obtidas com Néia pelo telefone 81 26 5865.

Reserve o seu convite. Ingressos serão limitados.

22 setembro 2009

Juiz de Trairi proíbe gravações do programa "No Limite", da TV Globo, envolvendo animais

Fonte: TJ/Ceará

17-Set-2009


O Juiz de Direito Gustavo Henrique Cardoso Cavalcante, da Comarca de Trairi, determinou "a imediata proibição da gravação e exibição, no programa "No Limite", de provas que envolvam animais de quaisquer espécies, bem como a gravação e exibição de cenas em que se submetam animais a maus tratos". A decisão foi proferida nessa 3ª.feira (15/09) e o diretor geral do programa, José Bonifácio Brasil de Oliveira, o "Boninho", foi intimado para o cumprimento da ordem, sob as penas legais.

O processo nº 2009.0026.8968- 8/0 é uma ação civil pública ambiental (com pedido liminar) de autoria do Ministério Público Estadual contra a TV Globo (Globo Comunicações e Participações S/A). O Ministério Público acatou a denúncia da União Internacional Protetora de Animais (UIPA) que enviou cenas gravadas do programa nos dias 30 de julho, 2 de agosto, 13 de agosto e 16 de agosto, nas quais os participantes matam galinhas com golpes de faca, comem olhos de cabra, assim como se alimentem de peixes vivos e "embriões" de galo.
Em sua decisão, o magistrado afirma que "o tratamento ao qual foram submetidos os referidos animais vivos é de translúcida e gratuita crueldade e objetivaram tão somente o transpor de uma prova e a conquista de audiência televisiva com a exibição de cenas bizarras, atraentes a muitos, em detrimento do respeito aos demais seres vivos e à vida, fazendo-se uma dissimulada apologia à indiferença de sua destruição".

O juiz fixou ainda, multa diária de R$ 50 mil para o caso de descumprimento da proibição, por cada programa exibido em desobediência à determinação judicial, com base no artigo 798 do Código de Processo Civil e artigos 4º, 5º, 11 e 12 da Lei nº 7.347/85

Preciso avisar: só estou colocando o vídeo para quem não entendeu o motivo da proibição. Não é nada agradável de assistir, os participantes comem pintinhos que não nasceram.


15 setembro 2009

Procuramos um novo lar





















































Esses filhotes estão procurando um lar. Eles ainda não foram batizados, que tal dar um nome para esses cachorrinhos?

Fotos da Feira do GPA de 13 de setembo




Ursinho procura um lar





















Esse cachorrinho todo fofinho se chama Ursinho, ele está procurando um novo lar.
Se você tem condições de dar muito amor e carinho para este filhote, entre em contato com o GPA (13)81265865.

Cachorrinho resgatado pelo GPA





















Este cãozinho branquinho é o Leo, ele foi resgatado no Ginásio Mário Covas em péssimas condições e está recebendo tratamento. Vamos acompanhar sua recuperação até que se torne um bichinho forte e alegre novamente.

Mais finais felizes





















Shock, Vitória e Pequenininha ganharam um novo lar.



A jornalista Mônica Bockor adotou Pequenininha para fazer companhia para seu cãozinho Gasparzinho, que estava muito só. A cadelinha já está se sentindo a dona do pedaço em seu novo lar. Depois de brincar muito com seu novo amigo, Pequenininha tomou posse da casinha do Gasparzinho, entrou lá dentro e o impediu de entrar! Por enquanto está tudo bem, vamos torcer para isso não dar briga.


09 setembro 2009

GPA realizará Feira de Adoção de cães e gatos domingo 13




O Grupo de Proteção aos Animais do Vale do Ribeira (GPA) convida a todos para a sua Feira de Adoção que acontecerá neste domingo 13, das 9 às 11 horas, no pátio do Toyo Materiais para Construção, na Av. Clara Gianotti de Souza, 854, em Registro.










Entre os cãezinhos que aguardam ansiosamente por um novo lar, está Vitória, uma linda mestiça de weimaraner abandonada domingo 30/09. Ela é muito bonita, inteligente, mansa e adora abraçar as pessoas. Tem apenas onze meses de idade. Quem quiser conhecê-la, precisa ligar para o GPA 8126 5865 ou ir à feira no domingo

08 setembro 2009

Estresse canino

Este é o depoimento de Leonice, seu filhote de Shih-Tzu faleceu por causa de um edema pulmonar causado por estresse.

"Estava ha 10 dias com meu filhote, que já tinha quase 3 meses. Resolvi levá-la ao petshop para um banho, fiquei aguardando, pois ela ainda não tinha todas as vacinas. Após o banho, fui informada que ela teve um ataquezinho provocado por estresse (medo do secador) trouxe ela para casa mas não melhorou. Ela babava e respirava fundo. Levei de volta ao pet e a veterinária a levou para uma clínica, foi feito de tudo, mas ela veio a falecer. O motivo foi edema pulmonar causado por estresse, ela teve hemorragia interna e não resistiu. O pet me deu outra, e com certeza vai demorar para eu leva-la ao pet shop."
Neste artigo de Alexandre Rossi, você poderá conferir que animais também sofrem de estresse, vale a pena conferir:
Lidando com o estresse do cão

Revista Cães & Cia, n. 303, agosto de 2004

Alexandre Rossi orienta sobre a importância de identificar quando o cão está com estresse e de poupá-lo da tensão contínua
Não é só o ser humano que pode ficar estressado e se prejudicar com isso. Os cães também se estressam. Muitas vezes, acontecimentos na casa ou na vida do cão, aos quais as pessoas não costumam dar importância, podem ser considerados por ele como ameaças ou desafios e afetá-lo gravemente.

Ficar sozinho é um desses casos, já que a espécie é social e precisa estar em companhia para se proteger e caçar. O estresse pode vir também de fatos como estar na presença de visitas, tomar banho, ser vestido com uma roupinha, ouvir barulhos, ainda que comuns para nós, ou estar diante de uma situação nova, como a chegada de um bebê humano.
Quando o estresse é prejudicial
Passar por momentos de estresse é normal. Se não houver exagero, o estresse até ajuda a preparar o organismo para lidar com situações perigosas ou aversivas. Nesses casos, a energia consumida supera a armazenada.

O coração fica acelerado, a freqüência respiratória aumenta, as pupilas dilatam e há a liberação de hormônios, como adrenalina e cortisol, na corrente sanguínea, promovendo alterações fisiológicas e comportamentais.Nenhum organismo está preparado para viver em permanente estado de estresse.
Se isso acontecer, a tendência é o cão apresentar sintomas como parar de se alimentar, não querer brincar, ter comportamentos repetitivos, como lamber a pata até feri-la, e comportamentos compulsivos, como correr atrás da cauda e latir sem parar.
O teste do petiscos
Por meio de mudanças nas atitudes do cão, é possível detectar o que o deixa estressado. Assim, pode-se evitar que ele sofra desnecessariamente. É possível averiguar se o cão está com estresse em determinado momento oferecendo um petisco e observando como reage. Por exemplo, se ele estiver tomando banho e aceitar a guloseima é porque não está estressado. Se a recusar, é provável que esteja estressado.

Pode-se também medir a velocidade de recuperação do cão às situações estressantes. Basta ver quando ele começa a aceitar comida de novo ou a brincar, sinal que o estresse foi superado. Alguns cães demoram para se recuperar, outros se recuperam quase instantaneamente.
Exame de sangue
Em casos mais complicados, a presença de estresse pode ser verificada por meio de um exame que mede o grau de cortisol no sangue, o hormônio do estresse. Quanto maior a sua concentração, mais estressado o cão está.
Tratamentos
Por meio de terapia comportamental, o cão pode aprender a tolerar com naturalidade situações muito estressantes para ele, como ficar em casa sozinho, ouvir barulhos de fogos, ir passear no parque com outras pessoas e animais, etc. Cães mais sensíveis devem ter um tratamento mais cuidadoso do que os mais corajosos, diante das mesmas situações.

Há ocasiões em que o tratamento comportamental pode ser complementado por um tratamento medicamentoso, com ansiolíticos ou antidepressivos. Ao se tratar a ansiedade e o medo do cão, problemas de alergia também diminuem, mostrando que estavam correlacionados com o estado emotivo.
Resumo.
Cães também podem ficar estressados em situações comuns ou do cotidiano.
O estresse, quando sob controle, ajuda o organismo a lidar com situações aversivas.
Os principais sintomas do estresse são: taquicardia, respiração ofegante, dilatação das pupilas, aumento de determinados hormônios (adrenalina e cortisol) na corrente sanguínea.
O estresse crônico pode debilitar o organismo e facilitar a manifestação de alergias e doenças.
Existem drogas psicoativas que podem ajudar no controle do estresse.
Dessensibilização, como terapia comportamental, pode ser útil para evitar o estresse.

04 setembro 2009

Weimaraner procura um lar


Olá, eu sou a Tempestade, uma bela mestiça de Weimaraner. Tenho cinco anos e atualmente moro em Ilha Comprida. Minha dona precisou mudar de cidade e infelizmente não pôde me levar junto...


Estou morando sozinha, mas alguns vizinhos aparecem para me visitar de vez em quando. Adoraria encontrar uma nova família que pudesse me adotar.















Sou mansa, inteligente e
já convivi com outros amiguinhos caninos. Você poderia me ajudar a encontrar um novo lar?



02 setembro 2009

Procura-se o Max


O GPA ajuda na procura de um cão mestiço preto, de porte grande, chamado Max.

Ele tem uma mancha branca no peito e estava com uma coleira quando fugiu de sua casa.

Quem tiver notícias, favor ligar para o GPA, pelo telefone 81265865.

Filhotinho no estacionamento do Magnânimo

Acabamos de saber que tem um filhote de cachorro preto e branco no estacionamento do Magnânimo da Vila Tupi (Registro). Ele está acompanhado de outro cãozinho maior.
Não sabemos se ele está perdido, se foi abandonado ou se nasceu na rua.
Se você tiver informações, por favor, avise-nos.

Obrigada

01 setembro 2009

Circo legal não tem animal


Viva o circo sem animal!

Circos sem animais valorizam seus artistas, que sozinhos conseguem maravilhar a sua platéia. Esta é a evolução natural do circo, prestigiando o ser humano. O maior exemplo disso é que diversos países já optaram pela proibição do uso de animais em circos, e, no Brasil, a proibição existe em 06 estados e em mais de 50 cidades.

Saiba quais os países que baniram o uso de animais em circos >>

A WSPA é a favor da tradição circense no Brasil e o proposto é que esta importante manifestação cultural evolua também em nosso país. A WSPA apóia os artistas que dedicam suas vidas a surpreender e entreter a população, sem animais.



Locais onde o uso de animais em circo já é proibido:



Estados: Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul

Em tramitação: Ceará, Santa Catarina

UFCidade
MG Juiz de Fora, Poços de Caldas, Sete Lagoas e Santos Dumont
MSCampo Grande
MTTangará da Serra
PRCuritiba, Foz do Iguaçú, Maringá, Ponta Grossa e São José dos Pinhais
RSPorto Alegre, Caxias do Sul, Montenegro, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Santa Maria, São Leopoldo, Taquara, Gravataí e Rio do Sul
SCFlorianópolis, Blumenau, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville, Videira, Balneário Camboriú, Chapecó e Laguna
SP

São Paulo, Araraquara, Atibaia, Avaré, Batatais, Bauru, Bebedouro, Campinas, Guarulhos, Jacareí, Jundiaí, Nova Odessa, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, São José dos Campos, São Vicente, Sorocaba, Taubaté, Ubatuba, Vinhedo, Diadema e Olímpia


Razões para a proibição do uso de animais em circo:

  • Animais em circo sofrem uma vida inteira de maus-tratos. Estes não incluem apenas as formas desumanas de treinamento (em sua maioria com o uso de choques, chicotes ou bastões pontiagudos), mas também os espetáculos em si, onde os animais, por sofrerem agressões para um suposto aprendizado, se comportam como nunca se comportariam na natureza, apenas por um capricho do ser humano. Além disso, passam suas vidas em espaços muito pequenos e em constante transporte, circunstâncias que causam alto grau de estresse aos animais. E, para piorar a situação, muitas vezes não têm à disposição alimento de qualidade ou em quantidade suficiente.

  • Animais em circo expõem as pessoas a muitos riscos. Não é possível prever como um animal estressado irá reagir em uma determinada situação. Além disso, muitas vezes permanecem em instalações inadequadas e frágeis, expondo os funcionários do circo e a população em geral. Vários acidentes já foram documentados inúmeras vezes pela mídia, como o caso do menino de seis anos que, no ano de 2000, em Pernambuco, foi devorado por leões que não comiam há vários dias e estavam em local inseguro.

  • Animais em circo podem transmitir doenças aos seres humanos, visto que não existe vacinação eficiente para os animais selvagens.

  • Animais em circo estimulam o tráfico de animais selvagens ao redor do mundo, prática reconhecidamente cruel e criminosa.


Fonte: WSPA Brasil